Cabine do Tempo 37 – O Clube dos Cinco e a Neve de Caspa!

Cabine do Tempo 37 – O Clube dos Cinco e a Neve de Caspa!

Salve Salve Cabineiros ! No Ar Nosso Trigésimo Sétimo Episódio do Podcast de Cinema Mais Injusto e Democrático da Internet!

Nesse Episódio os Integrantes Dinho Corleone e Samuel Ragnus Convidam Miotti e Lorena Duarte do Portal Refil e Ainda Carol Bardese do Setor2814 Para Falar do Filme do Diretor (John HughesClube dos Cinco (1985)!  

Ficha2

Gênero: Drama
Direção: John Hughes
Roteiro: John Hughes
Elenco: Ally Sheedy, Anthony Michael Hall, Emilio Estevez, John Kapelos, Judd Nelson, Molly Ringwald, Paul Gleason
Produção: John Hughes, Ned Tanen
Fotografia: Thomas Del Ruth
Montador: Dede Allen
Trilha Sonora: Keith Forsey
Duração: 95 min.
Ano: 1985
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Comentado2

 


15 coisas que você não sabia sobre ‘O Clube Dos Cinco’

Documentário Nunca me Sonharam

Gostou2

 

 

FEED, RSS  – Cabine do Tempo
http://feeds.feedburner.com/CabineDoTempoPodcast

FEED, RSS – Todos os Podcasts
http://feeds.feedburner.com/CabineDoTempo

itunes_logo

redessociasEemail

 

 

Mande um email para cabinedotempo@gmail.com ou clique aqui.

facebook twitter-bird google-plus

Podcast

 

 

Edição: Dinho Corleone

Vitrine: Samuel Ragnus

Vinheta: Lucas Amura

Vinheta: Melina

Enquete2

O Filme Clube dos Cinco Merece ser?

Resultados

Carregando ... Carregando ...

Um comentário sobre “Cabine do Tempo 37 – O Clube dos Cinco e a Neve de Caspa!

  1. Karaboz

    SÓ PRA ESSE COMENTÁRIO NÃO SER ESQUECIDO.
    Assisti esse filme recentemente e achei muito foda. Curto muito esse tipo de filme/seriado que envolve a “rotina” de jovens, principalmente relacionado às escolas como Curtindo a vida adoidado, Freaks and Geeks, Todo mundo odeia o Chris, The Goldbergs e por aí vai. Como já li em outros lugares, acredito que o filme veio para representar os jovens e seus problemas numa época em que não existia isso na televisão. Ele também mostra como o sistema de escola americano é bem segregativo, é outro nível se comparado ao Brasil. Eu acho que as escolas americanas parecem mais com as faculdades daqui onde você vai ter grupinhos bem definidos que marcam festas fora daquele ambiente, sem falar que a faculdade é grande pra caralho e cada um fica realmente no seu canto e não enclausurado numa sala de aula. Se você não fez amizade nos primeiros meses de curso ou se separar deles por algum motivo, vai passar 4~5 anos da sua vida indo pra aula com estranhos sem muita interação. Já peguei matéria de outro curso e que a turma é bem integrada porque já se conhecem desde o primeiro período e você não consegue se integrar ali nem a pau.
    O que foi aquela transformação no final? Mais sem sentido ainda é o atleta pegando a estranha na mesma hora sem mais nem menos, só porque ela tava vestida e maquiada como uma patricinha.
    Pra mim, todos ali vão sair respeitando um ao outro individualmente e podem até se cumprimentar na segunda feira mas sabem que fazem parte de um grupo com interesses diferentes e que aquela ligação só diz respeito a eles mesmos como indivíduos. O final feliz seria se eles se desvencilhassem dos seus respectivos grupinhos e formassem o deles. Fazer como uma party de RPG(caverna do dragão vem à mente) onde cada um é diferente do outro mas tem uma harmonia entre eles que faz o negócio ir pra frente.
    No final do filme o rebelde ganha um brinco e a estranha arranca uma “divisa” da roupa do atleta e leva pra casa. Pra mim, isso reforça que eles estão guardando um bem material para que essa lembrança nunca seja esquecida. Detalhe que ambos são de “castas” inferiores ao seus pares.
    Mas sabe o que me deixa pensativo sobre o filme? A última cena é o Rebelde levantando o braço em sinal de comemoração.
    O filme tem 32 anos e cada personagem ali ainda existe nos dias de hoje com os mesmos problemas.
    Na minha sala tinha o estranho sem amigos, o rebelde que sempre tava se explicando pro coordenador/diretor quando acontecia alguma merda porque tudo era culpa dele, a patricinha com futuro garantido pelo pai e o nerd que eu via chorando pelos corredores quando tirava 9 por causa do terror psicológico induzido pelos pais. O único que não condiz muito com a realidade brasileira é o atleta já que atleta aqui morre de fome, a não ser que seja algum prodígio do futebol e consiga um contrato sub-18. No país onde você ouve pra fazer concurso e/ou conseguir um diploma desde os 10 anos de idade, ninguém arrisca botar o filho pra se dedicar ao esporte e não dar tanta atenção aos estudos como os americanos fazem. Até porque ninguém vai dar jeitinho pro garoto passar de ano quando ele tiver perdendo aula e prova por causa de campeonato e etc…
    Acho que tem meia hora que tô tentando condensar meu comentário sobre o filme e acabei me estendendo um pouco. Acho esse filme foda pra caralho e dou nota 9 mas tenho consciência que certas pessoas não vão conseguir se identificar. O filme mostra a manhã de sábado de 5 alunos diferentes que estão na escola pra fazer uma redação como punição e é isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *