Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 30 de Abril – Pernalonga!

Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 30 de Abril – Pernalonga!

Cabine histórica é a nossa viagem com a C.A.T.I.A aos fatos históricos da humanidade e por toda a linha temporal,hoje viajamos para:

O dia 30 de abril de 1938 quando apareceu pela primeira vez no curta Porky´s Hare Hunt, Thomas, ou mais conhecido como Bugs Bunny (Pernalonga), ou Serápio (em alguns países hispano-falantes). Estava codirigido por Cal Dalton, diretor norte-americano e tinha um tema muito similar ao de Porky´s Duck Hunt (1937), dirigido pelo desenhista norte-americano Tex Avery, e apresentando o Patolino.  Pernalonga o coelho de desenhos animados aparece em curtas e filmes da Warner Bros, como Looney Tunes e Merrie Melodies, sendo um dos personagens animados mais conhecidos no mundo.

Em algumas das primeiras traduções ao castelhano ele era chamado de coelho da sorte. Seguindo seu rastro, o curta mostrava Gaguinho como um caçador contra uma presa maluca mais interessada em enlouquecer seu perseguidor que em escapar. Em vez de um pato preto, desta vez era um coelho branco. Mel Blanc (ator americano) deu ao coelho a voz e a risada e mais tarde deu ao, também personagem animado, Pica-Pau.

De acordo com o livro Bugs Bunny: 50 Years and Only One Grey Hare, ele “nasceu” em 1940, no Brooklyn, Nova York, e foi criado por Tex Avery, que dirigiu The Wild hare (O Coelho Selvagem – 1940), a estréia de Pernalonga no cinema; e Robert McKimson, que criou o design definitivo do personagem. De acordo com Mel Blanc, seu dublador original, Pernalonga tem um sotaque característico de Flatbush, uma equilibrada mistura entre os dialetos do Condado de Bronx e do Brooklyn. Seu famoso bordão é a pergunta “Eh… What’s Up, Doc?” (“Eh… o que é que há, velhinho?” no Brasil), geralmente dito enquanto mastiga uma cenoura.

Muitos historiadores de animação nos EUA acreditam que o Pernalonga pode ter tido sua personalidade influenciada por um personagem anterior de Walt Disney, um coelho chamado “Max Hare”, desenhado por Charlie Thorson. Que apareceu pela primeira vez em um desenho de Sinfonias Tolas (“Silly Synphonies”) chamdo “The Tortoise and the Hare”, dirigido por Wilfred Jackson. Tex Avery, um dos criadores do Pernalonga, admitia ter copiado um pouco da personalidade do coelho “Max Hare” para o Pernalonga, embora o design de Avery para o Pernalonga, tenha ficado com uma aparência mais inocente, do que o coelho de Thorson, que acabou se encaixando melhor com o seu comportamento sarcástico.

A maneira que Pernalonga morde sua cenoura com o canto da boca, também lembra muito o jeito que o comediante Groucho Marx fumava seu charuto. Um dos bordões mais populares do Pernalonga, Of course you know, this means war! (“É claro que você sabe, que isso significa guerra!”) também foi inicialmente dito por Groucho, em filmes como Duck Soup and A Night at the Opera.

Seu aniversário é do conhecimento público da nova série, O Looney Tunes Show , quando em um dos trailers Pernalonga Patolino pede se ele sabe o seu aniversário e é revelado que ele é em 27 de julho (ano desconhecido)
Happy Rabbit, o protótipo do Pernalonga, apareceu pela primeira vez no curta animado “Porky’s Hare Hunt”, lançado em 30 de abril de 1938. Co-dirigido por Ben Hardaway e creditado por Cal Dalton (que era responsável pela concepção inicial do coelho), este curta tinha um tema quase idêntico ao desenho de 1937 “Porky’s Duck Hunt” (dirigido por Tex Avery), que tinha introduzido o Patolino. Neste desenho o coelho ainda era totalmente diferente do que o Pernalonga viria a ser, em vez de ter o pelo da cor cinza, ele era um coelho branco, e tinha uma personalidade bem mais amalucada, como se fose um “Patolino em roupa de coelho”. O dublador americano Mel Blanc foi quem fez a voz do coelho, que inicialmente tinha um sotaque caipira, e que perdeu depois ao se transformar oficialmente em Pernalonga. Blanc inicialmente, também havia dado uma risada ao coelho (ha, ha, ha,HA, ha!), que mais tarde ele viria a utilizar para o personagem Pica-Pau de Walter Lantz. Este coelho inspirou os estúdio de Leon Schlesinger a continuarem a desenvolver o personagem em outros curtas animados.

Happy Rabbit teve sua segunda aparição em 1939 no desenho “Prest-O Change-O” dirigido por Chuck Jones, onde ele é o coelho de estimação de um mágico chamado: “Sham-Fu the Magician”, e incomoda dois cachorros que bisbilhotam no material do mágico.

Sua terceira aparição foi em 1939 no desenho: “Hare-um Scare-um”. Este curta, foi o primeiro em que ele apareceu como um coelho de cor cinza, em vez de branco.

Em “Elmer’s Candid Camera”, produzido por Chuck Jones em 1940, o coelho encontrou pela primeira vez Hortelino Troca-Letras. Este curta foi também o último em que o coelho deu a risada criada por Mel Blanc, que no mesmo ano passaria a ser usada para o Pica-Pau de Walter Lantz no episódio Knock Knock.

Happy Rabbit também fez uma aparição no filme Looney Tunes: Back in Action, quando Pernalonga foi atingido pelo raio do macaco azul, que o transformou na sua forma primitiva (Happy Rabbit). Disponível somente nos extras do DVD.

Seu dublador original foi Mel Blanc, que definiu a voz do coelho como “um mistura do sotaque do Bronx e do Brooklyn”. Depois da morte de Blanc, foi dublado por Jeff Bergman (1990-1993), Greg Burson (1993-1996), e desde o filme Space Jam é dublado por Billy West (que também faz o Hortelino, e é conhecido também por dublar o Pica-Pau nos novos episódios de 1999), embora em ocasiões como o filme Looney Tunes: Back in Action seja dublado por Joe Alaskey.

No Brasil o Pernalonga inicialmente teve cerca de três dubladores (conhecidos) nas dublagens da Cinecastro feita nos anos 60 e no início dos anos 70, foram eles: Ary de Toledo (1º voz), Cauê Filho (2º voz) e Mário Monjardim (3º voz) que se tornou mais conhecido por dublar Pernalonga durante mais tempo, e por ter sido o dublador oficial do personagem por mais de 20 anos. Atualmente o coelho é dublado por Alexandre Moreno.

Um dublador de nome desconhecido, também dublou o Pernalonga em quatro episódios dos anos 40 que chegaram a ser traduzidos na Cinecastro (entre eles “Coelho Hipnotizador” e “Duendes, Pois Sim”), e um da década de 50, chamado Gorila dos meus Sonhos (“Gorilla My Dreams”). Este dublador em questão, fazia uma voz bem diferente do tipo de voz que ficou conhecido com os outros quatro dubladores, sua voz era mais esganiçada e rouca, com um sotaque carioca, e assobiava com os dentes enquanto falava. Essa voz do Pernalonga não é tão conhecida, porque o SBT exibia apenas episódios com as outras três vozes (de Ary, Cauê e Mário), os desenhos com esse primeiro dublador só passaram algumas vezes no Cartoon Network e Boomerang.
Pernalonga e Hortelino cantando e fazendo Black Face, na cena final do episódio Coelho Caçado “Fresh Hare” de 1942. Na Globo essa cena era exibida normalmente, Mas no Cartoon Network e Boomerang ela era cortada, por ser considerada de conteúdo racista pelo canal.

Existem situações em que algumas cenas dos Looney Tunes que passavam na Globo, não passavam no Cartoon Network, como por exemplo, cenas em que os personagens imitavam negros, e pintavam o rosto de preto, eram consideradas racistas, e não são exibidas pelo Cartoon Network até hoje. Ou também cenas em que os personagens aparecem com uma arma na própria cabeça, por causa da violência.

Uma diferença entre a exibição da Rede Globo e estes canais por assinatura, é que a Globo quase sempre cortava as aberturas, e os creditos finais com a famosa frase dos desenhos dos Looney Tunes: Isso é Tudo, pessoal! (“That’s All, Folks!”). Outra diferença, são as músicas dos episódios, que no Cartoon Network, e Boomerang são em inglês, e na Globo em português. Isso acontece porque a Rede Globo geralmente não gosta de exibir desenhos com músicas cantadas em inglês em sua programação infantil, por isso chamaram os dubladores de alguns personagens, para traduzirem e dublarem algumas das canções em inglês, que eram cantadas em certos episódios. Um caso parecido também acontece nos desenhos do Máskara, que ao sairem da TV Globo e irem para o SBT, algumas músicas cantadas dentro dos episódios passaram a ser em inglês, pois as dublagens das canções pertenciam somente a Globo.

Uma versão mais jovem de Pernalonga é o personagem principal de Baby Looney Tunes , que estreou no Cartoon Network em 2002. Na comédia de ação Loonatics Unleashed , sua definitiva descendente Ace Bunny é o líder da equipe Loonatics e parece ter herdado ancestral Brooklyn seu sotaque e humor em quadrinhos.

Ary de Toledo, dublou o Pernalonga logo nas primeiras dublagens. Ary de Todedo é considerado o melhor e mais versátil dublador do pernalonga no Brasil.

Cauê Filho, passou a dublar Pernalonga quando a Cinecastro passou a usar as trilhas sonoras originais, ele dublou episódios como “O Coelho de Sevilha” (onde ele canta a versão em português da ópera do Pernalonga) e o episódio “Long-Haired Hare”.

Mário Monjardim assumiu a voz do Pernalonga ainda no estúdio da Cinecastro, mas ele chegou a dublar apenas o episódio da “Espada Cantante” neste estúdio (com a voz mais jovem nesta época).
Monjardim prosseguiu dublando o Pernalonga também na Herbert Richers no final dos anos 70 e durante os anos 80, em vários especiais de Natal, Páscoa, e Dia das Bruxas dos Looney Tunes, e depois no estúdio Sincrovídeo, para episódios lançados em VHS pela “Warner Home Video” no final da década de 80, e em Uma Cilada para Roger Rabbit de 1988. Mário também dublou o coelho nos anos 90 em Tiny Toon, e no filme Space Jam – O Jogo do Século, e também em comerciais.

Durante os anos de 1995, 1996 e 1997, Mário Monjardim também fez a voz do Pernalonga nos primeiros episódios em que o coelho apareceu, e que ainda eram inéditos no Brasil, eram episódios produzidos no início dos anos 40 que traziam um Pernalonga com uma personalidade bem mais louca e agitada, e que ainda não tinham sido dublados antes pela Cinecastro, são alguns deles: “A Câmera de Hortelino”, “O Velho Coelho Grisalho”, “Super Coelho” e “O Caso do Coelho Desaparecido”, entre outros episódios desta época. Também durante o final dos anos 90, Monjardim fez o Pernalonga na dublagem de alguns dos episódios produzidos após os anos 50, em que o Pernalonga já era mais calmo e pacífico. Alguns destes episódios da década de 1950 ainda eram inéditos no Brasil, como: “Ingenuidade Hereditária”, “Visitantes do Espaço”, e “Uma Experiência Chocante”, mas havia outros que eram dos que já haviam sido dublados antes na época da Cinecastro.

Um dos possiveis motivos que fizaram os episódios serem dublados novamente, é que alguns dos episódios dos Looney Tunes que a Cinecastro dublou, eram versões editadas para a televisão, com cortes em algumas cenas, e nesse caso as cenas cortadas, não chegaram a ser dubladas antes, e como as novas versões remasterizadas em 1998, continham essas cenas, tiveram que redublar alguns destes episódios. Um exemplo disso, é no episódio “Long-Haired Hare”, no qual aparece um cantor de ópera chamado “Giovanni Jones”. Neste episódio, a versão dublada na Cinecastro, não continha uma cena em que o Pernalonga se disfarça de uma fã adolescente, e vai pedir um autógrafo a Giovanni com uma caneta explosiva, mas já na versão dublada em 1998, esta cena estava incluida. Curiosamente, o SBT chegou a passar esse episódio uma vez, mixado com o áudio da Cinecastro (com Cauê Filho na voz do Pernalonga), e no momento da cena cortada, com a dublagem de 1998 (com Mário Monjardim dublando Pernalonga).

No ano de 2003, a Warner resolveu substituír Mário Monjardim por Alexandre Moreno, alegando que sua voz já estava envelhecida demais para o personagem. Alexandre Moreno dublou Pernalonga no filme Looney Tunes de Volta a Ação, e em alguns episódios para os DVDs da “Coleção Looney Tunes” (alguns que já haviam sido dublados por Mário Monjardim em 1996). Alexandre Moreno também dublou o coelho em um especial de Natal, chamado “Bah, Humduck! A Looney Tunes Christmas” de 2007. Curioso é que no início de 2009 em um comercial do Cartoon Network, onde Wile Coiote faz imitações do Pernalonga e do Salsicha, a voz do Coiote imitando o Pernalonga dizendo: “O que é que há, velhinho?”, não foi dublada por Alexandre, mais sim por Monjardim, que em seguida dublou também a imitação do Salsicha gritando: “Scooby-Doo, cade você meu filho?!”.

Existem também alguns episódios do Pernalonga que estavam em domínio público, e foram lançados em fitas de VHS pela “Opção Vídeo” nos anos 90, que tem uma dublagem diferente, feita em São Paulo no estúdio Dublavídeo, onde a voz do Pernalonga foi feita pelo dublador Flávio Dias. O Pernalonga também foi dublado por Flávio Dias na primeira dublagem paulista do filme “Uma Cilada Para Roger Rabbit”, que saiu em VHS.
Veja mais fatos históricos nesse dia:

Fonte:

Redação Terra

History Channel

Gostou do Post?

Curta e compartilhe a page >>  Cabine do tempo no facebook! e o Twitter do cabine do tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *