Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 17 de Setembro – Morre o engenheiro Isambard Brunel

Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 17 de Setembro – Morre o engenheiro Isambard Brunel

Cabine histórica é a nossa viagem com a C.A.T.I.A aos fatos históricos da humanidade e por toda a linha temporal,hoje viajamos para:

17 de Setembro de 1859, quando morreu um dos maiores engenheiros britânicos da éra da Revolução Industrial, Isambard Kingdom Brunel.

Filho único de Sir Marc Brunel (de origem francesa que fugiu para Inglaterra devido à Revolução), nasceu em Portsmouth a 9 de Abril de 1806, onde o seu pai trabalhava nos estaleiros da Royal Navy (Marinha Real). A sua educação dividiu-se em Hove, perto de Brighton, na Inglaterra, e Henri Quatre em Paris.

Em 1823 juntou-se a seu pai na construção do Canal do Tamisa em Rotherhithe, tendo sido posteriormente, somente com 20 anos, nomeado engenheiro do estaleiro.

Em 1829 desenhou a Ponte Pênsil de Clifton, sobre o Rio Avon. Os seus desenhos originais foram recusados, com base na opinião de Thomas Telford (outro importante engenheiro da época), mas posteriormente uma versão melhorada foi aceite. Contudo o projeto teve de ser abandonado devido à falta de fundos; a ponte só seria terminada em 1864.

Após ter sido nomeado Engenheiro Chefe das Docas de Bristol, em 1831, Brunel desenhou as Monkwearmouth Docks, tendo posteriormente desenhado e construído docas semelhantes em Plymouth, Cardiff, Brentford e Milford Haven.

Em Março de 1833, com 27 anos, Isambard Brunel foi nomeado Engenheiro Chefe do recém formado Caminho de Ferro Great Western Railway. O seu trabalho na linha que ligou Londres a Bristol, onde a sua energia e arrojo nos projetos e métodos de construção ajudaram a estabelecer a sua reputação como um dos maiores engenheiros do seu tempo. das obras de arte mais relevantes da linhas, constam os viadutos de Hanwell e Chippenham, a ponte em Maidenhead, o Box Tunnel e a estação Temple Meads em Bristol. Mas o trabalho para a Great Western Railway não foi isento de controvérsia; Brunel usou uma bitola de linha de 2.2 m, em vez da bitola padrão inglesa de 1.55m. Esta diferença de bitola criou problemas nas ligações com outras redes, e obrigava os passageiros a mudarem de comboio sempre que as duas linhas se encontravam.

Durante os trabalhos na linha de Swindon para Gloucester e Gales do Sul, desenvolveu uma combinação de estruturas tubulares, suspensas e em Sistemas Triangulados ou Treliças para atravessar o rio Wye em Chepstow. Este desenho foi posteriormente melhorado na sua famosa ponte sobre o rio Tamar em Saltash perto de Plymouth.

Dos trabalhos realizados para a Great Western, ainda hoje muitos são usados por comboios de alta velocidade. Brunel viria ao longo da sua carreira desenhar caminhos de ferro, não só em Inglaterra, mas também na Irlanda, Itália e Bengala (Índia e Bangladesh), num total de mais de 1,200 milhas de linhas.

Ainda antes de terminar a linha, Brunel apresentou à Great Western Railway Company um projecto para a construção de um navio a vapor para ligar o Porto de Bristol a Nova Iorque, conseguindo convencê-la. O Great Western (baptizado em nome da Companhia) fez a sua primeira viagem para Nova Iorque em 1838. Nesta altura era o maior navio a vapor do mundo, com 208 pés de comprimento, e o primeiro navio a vapor a fazer a carreira da travessia do Atlântico de forma regular. A viagem até a América durava 15 dias, e nos oito anos seguintes o Great Western realizou mais de 60 travessias.

Brunel iria inovar novamente a construção naval em 1843, quando construiu em Bristol o Great Britain. Com o casco em ferro e uma hélice de seis pás. O Great Britain foi concebido para transportar 250 passageiros, 130 tripulantes e 1,200t de carga. A viagem inaugural ocorreu em 1845, ligando Liverpool a Nova Iorque.

Em 1852, Brunel foi contratado pela Eastern Steam Navigation Company para construir outro navio a vapor, o Great Eastern. Construído nas margens do Tamisa com o casco em ferro, era impulsionado por duas pás. O Great Eastern era novamente o maior navio do seu tempo, desenhado para transportar 4.000 passageiros. Brunel defrontou-se com vários problemas de engenharia e financeiros, e o esforço para ultrapassar estes começou a afectar a sua saúde. Durante os teste de mar do Great Eastern Brunel sofreu um ataque, vindo a morrer a 15 de Setembro de 1859 e foi enterrado cinco dias depois no cemitério de Kensal.

Outros trabalhos de Brunel incluem viadutos, edifícios e um notável hospital pré-fabricado, com ar condicionado e esgotos para ser utilizado durante a Guerra da Crimeia. Inevitavelmente uma carreira prolífica como a de Brunel não foi isenta de desapontamentos e falhas, tais como o lançamento à água do Great Eastern ou do comboio atmosférico. Nos seus cadernos de desenhos e notas, que chegaram até nós, é visível a sua preocupação com todos os aspectos dos projetos em que se envolvia, e que os seus projetos eram o resultado de cálculos e experiência.

Brunel, um fumante convicto, sofreu um ataque cárdiovascular em 1859, um pouco antes de seu navio, o Great Eastern, partir para Nova York. Ele morreu dez dias depois desse acidente com 53 anos de idade e foi enterrado junto com o túmulo de seu pai, no Cemitério Kensal Green em Londres. Ele deixou para trás sua esposa Mary e três filhos: Isambard Brunel Junior (1837–1902), Henry Marc Brunel (1842–1903) e Florence Mary Brunel (1847–1876). Henry Marc seguiu os passos do pai, e também se tornou um renomado engenheiro civil.

Veja mais fatos históricos nesse dia:

1776 – Espanhóis inauguram o Presídio de São Francisco.
1787 – É assinada a Constituição dos Estados Unidos da América
1793 – Revolução Francesa – o Comitê de Salvação Pública inicia a repressão sanguinária conhecida como “O Terror”.
1843 – Inaugurada a Universidade do Chile.
1861 – Enfrentamento armado entre tropas nacionais argentinas e as de Buenos Aires, com vitória das primeiras, significando um importante avanço para a unificação do país.
1862 – Batalha de Antietam – importante batalha da Guerra Civil Americana. Nenhuma outra batalha da história dos Estados Unidos causou morte de mais soldados estadounidenses num único dia.
1894 – A Confeitaria Colombo é inaugurada no Rio de Janeiro.
1934 – A União Soviética passa a fazer parte da Sociedade das Nações.
1939 – Stalin ataca a Polônia (v. História da Rússia).
1944 – Segunda Guerra Mundial – começa a batalha de Arnhem, na Holanda, que vai até o dia 25 e é considerado o último êxito do Exército alemão, também considerado o dia do fracasso do general britânico Montgomery; mais de 1400 soldados mortos.
1946 – É aprovada a 4ª Constituição Brasileira.
1946 – Instalada a Guerra Civil na Grécia.
1948 – O Conde Folke Bernadotte é assassinado em Israel quando exercia seu trabalho de mediador para a resolução da questão Palestina (v. Boinas azuis).
1957 – Malásia é admitida como Estado-Membro da ONU.
1960 – Avião em que transportava Dag Hammarskjöld (um DC-6B) cai no Congo.
1971 – Carlos Lamarca, guerrilheiro do VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), é morto com cinco tiros por uma patrulha militar em Ipupiara, no interior da Bahia.
1974 – Bangladesh, Granada e Guiné-Bissau são admitidos como Estados-membros das Nações Unidas.
1978 – Dado o primeiro passo para um acordo de paz entre Israel e Egito.
1980 – O ex-presidente da Nicarágua, Anastásio Somoza, é assassinado em Assunção, no Paraguai.
1985 – Soyuz T-14 acopla-se à estação espacial Salyut 7.
– No Brasil, ocorre o primeiro grande apagão de sua história.
1988 – Iniciam os Jogos Olímpicos de Seul, marcado pela quebra do recorde olímpico dos 100 metros rasos por Ben Johnson, que pouco tempo depois, seria afastado das competições por doping.
1991 – Coreia do Sul, Coreia do Norte, Estônia, Letônia, Lituânia, Ilhas Marshall e Estados Federados da Micronésia são admitidos como Estados-Membro da ONU.
1994 – Começa a funcionar a maior estação de vigilância de ozônio e gases que causam o aquecimento da atmosfera, no monte Waliguan, na China.
2001 – A bolsa de Nova Iorque fecha com perdas históricas no primeiro dia de cotação, após os atentados terroristas de 11 de Setembro.
2001 – A Organização Mundial do Comércio aprova o texto de adesão da China.
2002 – Furacão Isidore chega à Jamaica.

Fonte:

Redação Terra

History Channel

Gostou do Post?

Curta e compartilhe a page >> Cabine do tempo no facebook! e o Twitter do cabine do tempo!

2 comentários sobre “Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 17 de Setembro – Morre o engenheiro Isambard Brunel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *