Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 16 de Janeiro – Nasce JÔ!

Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 16 de Janeiro – Nasce JÔ!

Cabine histórica é a nossa viagem com a C.A.T.I.A aos fatos históricos da humanidade e por toda a linha temporal,hoje viajamos para:

O dia 16 de Janeiro de 1938 onde nascia, no Rio de Janeiro, José Eugênio Soares, mais conhecido como Jô Soares!

Até à adolescência viveu nos Estados Unidos e na Europa. Voltou ao Brasil quando o seu pai perdeu todo o dinheiro na Bolsa de Valores. Com a idade de 18 anos, José ingressou no Instituto Rio Branco, para seguir carreira diplomática. Sempre divertido, de humor rápido e inteligente, o jovem gostava de entreter seus colegas com casos e piadas.

A estréia de Jô Soares na vida artística aconteceu no filme “O Homem do Sputnik”, chanchada de Carlos Manga. Na televisão, a convite de Adolfo Celi, começou escrevendo textos de teleteatro e eventualmente atuando no programa “TV Mistério”, da TV Rio. Tornou-se roteirista do programa Câmera Um, da TV Tupi.

Em 1959, entrevistava e fazia graça nos programas Jô, o Repórter e Entrevistas Absurdas, veiculados pela TV Continental, no Rio. Participou de O Riso é o Limite, na TV Rio e, em 59, estreava no teatro como o bispo de “Auto da Compadecida”. Em 1960, seguiu para São Paulo, onde fez brilhante carreira como redator de TV (Show a dois, Três é demais) e ator e humorista (Cine Jô”, La Revue Chic, Rifi-7, 7 Belo Show, Jô Show, Praça da Alegria, Quadra de Ases).

Destaque para a atuação de Jô Soares como entrevistador internacional do Programa Silveira Sampaio, em 1963 e 1964. A fama nacional como comediante veio em 1967, quando estreou como o mordomo Gordon da Família Trapo, programa que também ajudava a escrever. Na TV Globo, firmou seu sucesso nos humorísticos “Faça o humor, não faça a guerra” (1970), Satiricon (1973), “O planeta dos homens” (1976) e “Viva o Gordo” (1981).

Os personagens marcantes foram muitos: Bô Francineide, Gardelon, irmão Carmelo, Norminha, Capitão Gay etc. Os bordões que caíram na boca do povo, inúmeros: “tem pai que é cego”, “cala a boca, Batista”, “muy amigo”, “a ignorância da juventude é um espanto”, “vai pra casa, Padilha”. Em 1973, Jô estreou seu sonhado programa de entrevistas na nova casa, o Globo Gente. Problemas com a censura o retiraram do ar. Nos anos 80, já em época da abertura política, a emissora não apoiou o projeto para um programa de entrevistas com ele. Sílvio Santos aproveitou e atraiu Jô para o SBT com um salário recorde na TV brasileira (perto de 2 milhões de cruzeiros), com direito a programa de humor (Veja o Gordo) e um talk-show (Jô – Onze e Meia), que finalmente estrearia em 16 de agosto de 1988. Pouco tempo depois, Jô encerrou a carreira de humorista, passando a se dedicar à imprensa, à música, ao teatro e à literatura. Em 3 de abril de 2000, ele voltaria para a Globo, no Programa do Jô, e entrevistaria aquele que não dava entrevistas, o dono e fundador da emissora, Dr.Roberto Marinho. Os livros Xangô de Baker Street (1995) e O Homem que matou Getúlio (1998) marcaram sua nova fase como escritor.

A carreira de Jô Soares foi destaque em vários jornais, incluindo o jornal americano “The New York Times”. Com o título de “O showman do renascimento brasileiro não pode ser contido num “talk show'”, Larry Rohter discorre sobre a carreira do multitarefas Jô, lembrando seu sucesso na TV como comediante, durante a ditadura militar, e os “talk shows” que fez depois, nos moldes americanos.

“Beijo do Gordo!”

“No Brasil, quando o feriado é religioso, até ateu comemora”.

“Se o Comunismo acabar, quem é que vai levar a culpa?”

“Não há amizade, que por mais profunda que seja, que resista a uma série de canalhices”.

“É bem melhor pensar sem falar, do que falar sem pensar.”

“A prova de que a natureza é sábia é que ela nem sabia que iríamos usar óculos e notem como colocou nossas orelhas.”

“Era um menino tão mau que só se tornou radiologista para ver a caveira dos outros.”

Jô Soares

 

Veja mais fatos históricos nesse dia:

 

1547 – Ivã IV, o Terrível, é coroado primeiro czar da Rússia. Seu notório reino foi marcado pela execução de mais de três mil pessoas.

1794 – Morre Edward Gibbon, historiador inglês.

1861 – É implantada a comunicação telegráfica submarina entre a península Ibérica e as ilhas Baleares.

1862 – Publicado o livro A Vida de Jesus, de Ernesto Renan.

1902 – A Alemanha obtém a concessão para construir a ferrovia Konia-Bagdá, no Império Otomano.

1906 – Começa a Conferência de Algeciras, sobre o destino de Marrocos, entre Espanha, França, Alemanha e Inglaterra.

1908 – Grandes conflitos de operários em Chicago, nos Estados Unidos.

1911 – Nasce Eduardo Frei, presidente do Chile.

1914 – O escritor russo Máximo Gorki é autorizado a voltar ao seu país, após oito anos de exílio.

1919 – A Assembléia Constituinte da Polônia confirma Ignacy Jan Paderewsky como ChRedação Terra do Governo.

1941 – II Guerra Mundial: iniciam os ataques aéreos alemães à Malta, sendo o começo da guerra no Mediterrâneo.

1947 – Vincent Auriol é eleito presidente da França, o quinto presidente da Quarta República.

1950 – Morre Gustav Krupp, industrial e financeiro alemão.

1956 – O Islamismo se converte como religião oficial do Egito, por mandato constitucional.

1957 – Inaugurada a casa noturna The Cavern Club, em Liverpool, na Inglaterra. Foi no local que os Beatles iniciaram sua carreira artística.

1963 – Morre Gilardo Gilardi, compositor argentino.

1969 – O estudante Jan Palach coloca fogo em si mesmo e morre na praça Wenzel, de Praga, em protesto pela ocupação soviética na Checoslováquia e a abolição das liberdades individuais.

1970 – O coronel Muammar Kadafi torna-se primeiro-ministro da Líbia. Ele lidera um golpe militar que derruba a monarquia pró-Ocidente.

1975 – É firmado em Lisboa o acordo para a independência de Angola.

1979 – O xá do Irã deixa o país ao ser expulso pelo Aiatolá Khomeini.

1979 – Um terremoto medindo 7,0 graus na escala Richter, atinge o Irã, resultando em centenas de mortos.

1980 – O ex-Beatle Paul McCartney é preso em Tóquio, no Japão, acusado de porte de maconha. Dez dias depois, foi solto e extraditado do país.

1984 – Por seu disco Thriller, o cantor Michael Jackson recebe sete prêmios na American Music Awards.

1989 – O Conselho de Segurança da ONU aprova por unanimidade o plano para a independência da Namíbia, pedindo ao Governo da África do Sul que reduza sua presença militar nesse território.

1991 – Forças aliadas, lideradas pelos Estados Unidos, iniciam uma ofensiva militar contra o Iraque. É o começo da Guerra do Golfo.

1992 – Oficiais do governo de El Salvador e líderes rebeldes assinam um pacto de paz, encerrando a guerra civil no país que durara 12 anos.

1998 – A indústria do tabaco chega a um acordo de US$ 15 bilhões com o estado de Texas como compensação pelos danos à saúde causados pelo fumo.

 

Fonte:

Redação Terra

History Channel

Gostou do Post?

Curta e compartilhe a page >>  Cabine do tempo no facebook! e o Twitter do cabine do tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *