Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 12 de Março – Perdão da Igreja!

Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 12 de Março – Perdão da Igreja!

Cabine histórica é a nossa viagem com a C.A.T.I.A aos fatos históricos da humanidade e por toda a linha temporal,hoje viajamos para:

O dia 12 de março de 2000,quando  o Papa João Paulo II pediu perdão publicamente pelos pecados cometidos pela Igreja nos seus 2000 anos de reinado.

Foi um rito penitencial sem precedentes na história da Igreja. As palavras do Papa relembraram as atrocidades cometidas no Holocausto, a Inquisição espanhola ou a perseguição aos judeus.

A comunicação destes atos constituiu o momento mais importante da cerimónia que teve lugar na Basílica de São Pedro do Vaticano pelo Jubileu do Ano Santo.

Sete cardeais arcebispos, colaboradores próximos do Papa – entre os quais, Joseph Ratzinger – também expressaram as suas súplicas de perdão.

A Igreja Católica é uma das instituições mais antigas do mundo contemporâneo. Simultaneamente, é também uma das mais controversas, porque ela “revela-se muitas vezes […] em oposição ao que parece ser o conhecimento vulgar dos nossos tempos” e porque ela insiste sempre que “a fé envolve verdades, que essas verdades envolvem obrigações e que essas obrigações exigem certas escolhas”. Por essa razão, a Igreja Católica, “vista do exterior, […] pode parecer de vistas curtas, mal humorada e atormentadora – o pregador azedo de um infinito rosário de proibições”.

Historicamente, as críticas à Igreja Católica já tiveram muitas formas e partiram de diversos pressupostos ao longo das gerações. Algumas vezes essas críticas tiveram grandes consequências, como as contestações morais e teológicas de Martinho Lutero no século XVI, que levaram ao nascimento do protestantismo.

Atualmente, as críticas são frequentemente dirigidas, como por exemplo, à hiperdulia, à dulia, à ética católica sobre o casamento (que condena o divórcio), sobre a Vida (que condena o aborto, as pesquisas científicas que matam embriões humanos, a eutanásia e os contraceptivos artificiais) e sobre a sexualidade (que condena o sexo pré-marital, a homossexualidade e o uso de preservativos). Estas questões ético-morais continuam a gerar muitas polémicas e controvérsias. Algumas acções escandalosas e imorais, que vão contra a doutrina católica, praticadas por certos membros e clérigos católicos (ex: abuso sexual de menores por membros da Igreja Católica) reforçaram as críticas referentes ao modo como essa doutrina trata a sexualidade e a moralidade em geral.

Nos tempos modernos, a própria crença em Deus e as inúmeras regras ético-morais da Igreja são também duramente criticadas como sendo obstáculos para a verdadeira libertação, progresso e realização do Homem. A origem da Igreja e da Bíblia, a vida de Jesus (com particular destaque às teorias sobre Maria Madalena [carece de fontes]) e a paradoxal compatibilidade entre a existência de Deus e a existência do mal e do sofrimento são também questionadas [84]. Recentemente, a questão teológica da “unicidade e universalidade salvífica de Jesus Cristo e da Igreja [Católica]” [87] e a definição teológica de que a Igreja Católica é a única Igreja de Cristo continuam a suscitar várias polémicas e desentendimentos. Apesar destas duas crenças, a doutrina católica nunca negou a salvação aos não-católicos.

Igreja

Questões mais disciplinares da Igreja, como a hierarquia católica e o celibato clerical, e questões doutrinárias como o ensinamento de ser impossível conferir ordenação sacerdotal às mulheres, são também temas muito debatidos na actualidade . Outras controvérsias que a Igreja está ou esteve metida incluem o mediático e actual caso do abuso sexual das crianças por padres , as históricas acções opressoras e violentas das Cruzadas e da Inquisição (que perseguiu os hereges, os judeus e alguns cientistas), o seu suposto envolvimento com os regimes não-democráticos e as acções “desatinadas” de alguns missionários católicos durante o período colonial na África, na Ásia e na América.

A relação entre a Igreja e a Ciência não foi fácil e está recheada de controvérsias passadas e já resolvidas, como a questão da perseguição de certos cientistas e teorias (ex: os casos famosos de Galileu Galilei e do evolucionismo darwiniano). Apesar de a Igreja defender tanto a fé quanto a razão (por exemplo, a Igreja aceita a teorias do evolucionismo e do Big-Bang, que aliás foi proposto pela primeira vez por um padre católico), a Igreja e os cientistas/filósofos seculares continuam a discordar em questões mais teológicas relacionadas com a infalibilidade e a autenticidade da Revelação divina contida nas Escrituras e na Tradição oral; com a negação da existência de Deus e da alma (e da sua imortalidade); com os momentos exactos do princípio e do fim da vida humana; e com as implicações éticas da clonagem, da contracepção ou fertilização artificiais, da manipulação genética e das investigações científicas que matam embriões humanos.

Algumas das controvérsias já actualmente resolvidas foram, em parte, solucionadas através do reconhecimento por parte da Igreja Católica de que erros graves foram cometidos pelos seus membros. No Jubileu do ano 2000, o Papa João Paulo II pediu perdão por tais erros.

A Igreja Católica é uma das instituições mais antigas do mundo contemporâneo. Simultaneamente, é também uma das mais controversas, porque ela “revela-se muitas vezes […] em oposição ao que parece ser o conhecimento vulgar dos nossos tempos” e porque ela insiste sempre que “a fé envolve verdades, que essas verdades envolvem obrigações e que essas obrigações exigem certas escolhas”. Por essa razão, a Igreja Católica, “vista do exterior, […] pode parecer de vistas curtas, mal humorada e atormentadora – o pregador azedo de um infinito rosário de proibições”.

Historicamente, as críticas à Igreja Católica já tiveram muitas formas e partiram de diversos pressupostos ao longo das gerações. Algumas vezes essas críticas tiveram grandes consequências, como as contestações morais e teológicas de Martinho Lutero no século XVI, que levaram ao nascimento do protestantismo.

Atualmente, as críticas são frequentemente dirigidas, como por exemplo, à hiperdulia, à dulia, à ética católica sobre o casamento (que condena o divórcio), sobre a Vida (que condena o aborto, as pesquisas científicas que matam embriões humanos, a eutanásia e os contraceptivos artificiais) e sobre a sexualidade (que condena o sexo pré-marital, a homossexualidade e o uso de preservativos). Estas questões ético-morais continuam a gerar muitas polémicas e controvérsias. Algumas acções escandalosas e imorais, que vão contra a doutrina católica, praticadas por certos membros e clérigos católicos (ex: abuso sexual de menores por membros da Igreja Católica) reforçaram as críticas referentes ao modo como essa doutrina trata a sexualidade e a moralidade em geral.

Nos tempos modernos, a própria crença em Deus e as inúmeras regras ético-morais da Igreja são também duramente criticadas como sendo obstáculos para a verdadeira libertação, progresso e realização do Homem. A origem da Igreja e da Bíblia, a vida de Jesus (com particular destaque às teorias sobre Maria Madalena [carece de fontes]) e a paradoxal compatibilidade entre a existência de Deus e a existência do mal e do sofrimento são também questionadas . Recentemente, a questão teológica da “unicidade e universalidade salvífica de Jesus Cristo e da Igreja [Católica]” e a definição teológica de que a Igreja Católica é a única Igreja de Cristo continuam a suscitar várias polémicas e desentendimentos . Apesar destas duas crenças, a doutrina católica nunca negou a salvação aos não-católicos.
Questões mais disciplinares da Igreja, como a hierarquia católica e o celibato clerical, e questões doutrinárias como o ensinamento de ser impossível conferir ordenação sacerdotal às mulheres, são também temas muito debatidos na actualidade . Outras controvérsias que a Igreja está ou esteve metida incluem o mediático e actual caso do abuso sexual das crianças por padres, as históricas acções opressoras e violentas das Cruzadas e da Inquisição (que perseguiu os hereges, os judeus e alguns cientistas), o seu suposto envolvimento com os regimes não-democráticos e as acções “desatinadas” de alguns missionários católicos durante o período colonial na África, na Ásia e na América.

A relação entre a Igreja e a Ciência não foi fácil e está recheada de controvérsias passadas e já resolvidas, como a questão da perseguição de certos cientistas e teorias (ex: os casos famosos de Galileu Galilei e do evolucionismo darwiniano). Apesar de a Igreja defender tanto a fé quanto a razão (por exemplo, a Igreja aceita a teorias do evolucionismo e do Big-Bang, que aliás foi proposto pela primeira vez por um padre católico), a Igreja e os cientistas/filósofos seculares continuam a discordar em questões mais teológicas relacionadas com a infalibilidade e a autenticidade da Revelação divina contida nas Escrituras e na Tradição oral; com a negação da existência de Deus e da alma (e da sua imortalidade); com os momentos exactos do princípio e do fim da vida humana; e com as implicações éticas da clonagem, da contracepção ou fertilização artificiais, da manipulação genética e das investigações científicas que matam embriões humanos .

Algumas das controvérsias já actualmente resolvidas foram, em parte, solucionadas através do reconhecimento por parte da Igreja Católica de que erros graves foram cometidos pelos seus membros. No Jubileu do ano 2000, o Papa João Paulo II pediu perdão por tais erros.

Veja mais fatos históricos nesse dia:

1535 – Fundada oficialmente a cidade de Olinda, em Pernambuco.

1572 – Publicação de Os Lusíadas, poema épico do português Luis de Camões.

1799 – Áustria declara guerra à França.

1894 – Inicia-se a venda de Coca-Cola em garrafas.

1917 – Inicia a Revolução Russa, que atinge seu ápice em outubro do mesmo ano com a queda do czar Nicolau II.

1930 – Mahatma Gandhi lidera uma marcha contra o monopólio inglês sobre o sal.

1947 – O presidente americano Harry Truman anuncia o que ficou conhecido como Doutrina Truman, pedindo ajuda para que a Grécia e a Turquia não caíssem nas mãos de comunistas.

1959 – É lançado o veículo espacial francês Veronique AGI 16.

1969 – A polícia encontra 120 cigarros de maconha na casa do beatle George Harrison.

1980 – John Wayne Gacy Jr. é declarado culpado pela morte de 33 homens e meninos em Chicago. Ele seria executado em 1994.

1990 – O Presidente José Sarney, um pouco antes de deixar o poder, assina 45 concessões de emissoras de rádio.

1994 – A Igreja da Inglaterra ordena suas primeiras pastoras.

2000 – João Pablo II pede perdão pelos pecados da Igreja Católica.

2002 A texana Andrea Yates é declarada culpada pela morte de três de seus cinco filhos por afogamento.  Nascimentos   » George Berkeley (1685-), filósofo irlandês

» Jack Kerouac (1922-1969), escritor americano

» Raúl Alfonsin (1927-), presidente argentino

» Liza Minnelli (1946-), atriz americana

» Joaquim Cruz (1963-), atleta brasileiro   Falecimentos   1950 – Heinrich Mann, escritor alemão

1992 – Richard Brooks, cineasta americano

2000 – Maria Werneck de Castro, artista plástica brasileira

Fonte:

Redação Terra

History Channel

Gostou do Post?

Curta e compartilhe a page >> Cabine do tempo no facebook! e o Twitter do cabine do tempo!

Um comentário sobre “Cabine Histórica: Viagem ao passado do dia 12 de Março – Perdão da Igreja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *