Cabine Nostálgica: The Lucky Dime Caper

Cabine Nostálgica: The Lucky Dime Caper

A Disney sempre conquistou milhares de fãs por todo o globo. Os seus desenhos mudaram o mundo e não conheço ninguém que não tenha pelo menos um desenho da Disney que goste. Aliás, essa empresa conseguiu criar um universo paralelo que encanta crianças e adultos. Eu vejo pelas minhas priminhas que, com 5 e 7 anos de idade, ficam encantadas com as animações e os desenhos. Por outro lado, conheço muitos marmanjos de mais de 25/30 anos que viajam para a Disneylândia e voltam malucos da cabeça. Eu tive a oportunidade de ir na Euro Disney e não me arrependi, voltei a ser uma criança de 5 anos.

No mundo dos vídeo games, isso não foi diferente. Aliás, tem coisa mais inteligente do que trazer todo esse novo universo para dentro de um console? A Disney  fez isso com maestria durante muitos anos. Muito antes dos sucessos como Aladdin,  O Rei Leão e de todas as animações atuais, a Disney era estourada com um desenho que virou vídeo game em 1991. Uma ideia, como já dito anteriormente, genial. Pegar um dos maiores sucessos no mundo dos desenhos e levar ele para um console.  E eu não estou falando do Mickey não, estou falando do camarada dele, que vai ter que resgatar os seus três sobrinhos no jogo:

capa

The Lucky Dime Caper

Lançado em 1991 para Master System,  o pato mais rabugento e divertido foi para o mundo dos games, e continuou sem as calças (alias, por que ele usa tolhas quando sai do banho, se ele nem usa calças?). Foi uma “resposta” direta ao game “QuackShot” que fez muito sucesso e foi considerado por muitos, um dos melhores jogos para Mega Drive. Eu digo resposta direta por que os jogos foram lançados quase simultaneamente, mas ao invés de lançar o mesmo jogo para os dois consoles, a Sega decidiu lançar um game totalmente diferente para os 8 Bits, e isso foi ótimo!

patinhas

Tio Patinhas dá uma moeda para cada um deles, Huguinho, Zezinho e Luizinho

A história do jogo começa com o Tio Patinhas presenteando cada um dos seus netos (Huguinho, Zézinho e Luizinho) com uma moeda da sorte. Nisso, a Maga Patalógica parece e sequestra os três sobrinhos e a moedinha numero 1 dele. O nosso querido Patinhas fica desesperado e pede ajuda do nosso amigo Donald para resgata-los. Cada um dos sobrinhos está em um lugar no mundo e a moeda numero 1 esta escondida no castelo da maga. Vale lembrar que o Tio Patinhas ofereceu uma recompensa para o Donald e que, o pato só pensa nisso o game inteiro.

telatitulom

Tela inicial do game

Já logo no inicio podemos ver o que nos esperava. Um game super colorido, com gráficos de primeira e um som que não deixa nada a desejar, era simples, porém, não comprometia. Os desenhos das fases e do próprio Donald davam inveja a qualquer jogo de Nintendinho ou até mesmo no do próprio Master System.  Ele se mexia ao andar de uma maneira tão bonita, que encantou todos os jogadores. Os movimentos, os detalhes e as fases detalhadas faziam você se sentir no próprio desenho animado. E era assim que você se sentia jogando “Lucky Dime Caper”, fazendo parte e controlando um desenho animado, de primeira qualidade. As fases tinham músicas personalizadas e bem marcantes, você depois de um tempo jogando, saberia exatamente em que parte do game estaria, apenas ouvindo os sons.

052

The Lucky Dime Caper é um jogo de plataforma bem desafiador

A jogabilidade do game era bem comum. Você andava para um lado e para o outro, podendo pular e abaixar. O pato podia matar os inimigos via armas ou pulando na cabeça deles. Outra coisa que vale lembrar no jogo é que não existe “vidas” dentro das fases. Se o personagem fosse atingido, ele perdia a arma. Se fosse atingido sem arma, ele morria. A arma só seria recuperada matando algum inimigo mais adiante.

Imagem Agua

As fases são bem variadas

O nosso personagem tinha duas armas: um porrete e uns discos. O porrete era o melhor, era mais rápido de bater e mais forte porém, só acertava inimigos no curto espaço. Uma coisa bem interessante desse jogo é que os gráficos dos movimentos de Donald batendo o porrete são muito bem feitos e você deve calcular, o tempo que o pato leva para tirar o porrete de “trás” dele e atingir o inimigo. O porrete só acertava quando ele estava em uma posição correta da tela. Não sei se consegui explicar direito, mas tínhamos que saber a hora certa de bater. O disco era uma arma horrorosa, mas que podia atingir inimigos a longa distancia. Ele era mais lento e mais fraco. Donald também podia pegar algumas estrelas que o deixavam com o golpe mais rápido. Se conseguíssemos 5 estrelas, ele ficava invencível por alguns instantes.

mapa 1

Primeiras três fases

O jogo se inicia com uma seleção de fases. Aqui você escolheria qual sobrinho iria salvar e em que parte do mundo iria jogar. Isso era super interessante, como a proposta era “viajar pelo mundo”, as fases são bem diversificadas. Assim, no primeiro menu, tínhamos três fases, cada uma com um chefe no final:

urso

O Urso era até fácil de derrotar

Essa fase passava na América do Norte em uma floresta. Você tinha abelhas, cogumelos e mais alguns inimigos estranhos. Aqui, tínhamos que calcular muito bem as distâncias e os pulos. Também tinha uma corda do capeta que era muito difícil de pegar impulso para pular grandes distâncias.  No final, você enfrentaria um urso.

leao

O leão já era mais complicado

 

Essa fase se passaria na América Central, também em uma floresta, mas com parte dela na água. Os inimigos eram pássaros, peixes e estalactites (apenas em baixo da água). Nessa fase podíamos ver os belos gráficos do Donald nadando. É também nessa fase que encontrávamos a tartaruga, que nos transportavam pra lá e pra cá, mas que, do nada, afundava  e nos matava. No final, o personagem enfrentava um Leão.

chefe america

Duas estátuas eram os chefes da terceira fase

A terceira e ultima fase da primeira parte se passaria na America do Sul. O nosso personagem enfrenta aves, vasos, um pessoal com porrete e chapéu que mais pareciam porcos vestidos. Nessa fase existe uma parte que o Donald precisa descer uma ladeira desviando de vários inimigos, era um inferno passar disso. No final enfrentaríamos duas estátuas que são tomadas por um “espírito”.

mapa 2

Quarta, quinta e sexta fase

Depois de resgatados os três sobrinhos, o nosso bravo Donald iria atrás da moeda numero 1 do Tio Patinhas, enfrentando os 3 corvos e a Maga Patalógica.

caribe 2

Muito calor na quarta fase

Nessa quarta fase, Donald vai para ilha no meio do Oceano Pacífico. Essa fase também e bem detalhada e se você parasse com o personagem, ele colocaria a língua para fora, demonstrando calor. Os inimigos eram obstáculos de fogo, uns totens que cuspiam fogo, um pessoal local com porrete e um grande vulcão que cuspia bolas de fogo. No final, o chefe é um dos corvos da Maga.

gelo 1

Tudo gelado na quinta fase

A próxima fase se passaria na Antártida (Antártica). Aqui, o nosso protagonista fica tremendo de frio. Os inimigos são peixes, homens das neves e um boneco de neve que atira gelo. O vento aqui é muito forte e empurra o Donald pra frente e pra trás. No fim, mais um corvo para enfrentar.

Imagem fase 6

Sexta fase, areia movediça e pirâmides

A ultima fase da segunda parte é no norte da África. A fase e bem bonita, cheia de pirâmides e inimigos.  Você enfrenta morcegos, areias movediças e escorpiões. Dentro da pirâmide, era um labirinto lascado. Várias portas para entrar e vários subchefes. No final, mais um corvo, agora ajudado por uma cobra.

ultima fase

Ultima fase, lembra até um castelo do Super Mário.

Depois de arrebentar os três corvos, Donald pega o endereço da Maga no meio da “Europa” e vai atrás da tão sonhada moeda. Uma fase bem complexa, difícil e grande. Você enfrenta caveiras, garfos, quadros, fantasmas, espinhos e anda por todo o castelo. No fim, você enfrenta a Maga Patalógica e consegue a moeda.

Chefe final

Maga Patalógica sendo derrotada

Lucky Dime Caper marcou a geração dos 8 Bits, com um jogo lindo, divertido e desafiador. A dificuldade dele pode ser considerada “alta” já que as três primeiras fases são fáceis, mas, as 4 ultimas são realmente difíceis. O jogo pode ser considerado curto, mas estava na média dos jogos da época. A criançada se sentiu dentro de um desenho animado e a Disney viu que poderia lançar inúmeros títulos que a franquia era uma mina de ouro.  Esse game entra facilmente na lista dos 10 melhores jogos de Master System.

Fiquem com um gameplay completo do jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *